Fórum Estadual de Sergipe

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

12/09/2017 09:02:21 - Atualizado em 12/09/2017 09:02:22


Secretaria de Inclusão entrega materiais de enfrentamento ao trabalho infantil a equipes municipais

A reunião promoveu o contato do estado com 16 municípios sergipanos

A secretaria de Estado da Inclusão Social reuniu representantes de 16 municípios sergipanos , no final de agosto, para disponibilizar materiais de divulgação e mobilização para erradicação do trabalho infantil, como cartilhas, revistas, banners e aventais - a serem usados em feiras livres por todo o estado. Os municípios presentes foram aqueles que registraram entre 200 e 300 casos de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil, segundo o Censo IBGE de 2010 – para além dos 14 municípios prioritários já atendidos pelo Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI.
 
De acordo com a coordenadora de Inclusão e Assistência Social da Seidh, Kátia Ferreira, a reunião buscou promover o contato direto do estado com os municípios, e fortalecer o enfrentamento ao trabalho infantil em Sergipe, atingindo principalmente àquelas pessoas mais vulneráveis, que necessitam da intervenção do Governo.
 
“Hoje realizamos a entrega de materiais. Dessa forma, o Estado, junto com o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil em Sergipe (FEPETI-SE), o Conselho Estadual de Assistência e o Conselho da Criança, oferecem apoio técnico a esses municípios durante a execução, inclusive do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, também nas feiras livres com os aventais distribuídos hoje e as cartilhas, para promover o esclarecimento das famílias dessas crianças”, Kátia.
 
Durante o encontro, os presentes também puderam assistir a palestras, entre elas, sobre o papel da Vigilância Socioassistencial. “Estamos fazendo a prevenção nos 16 municípios presentes, produzindo e sistematizando dados territoriais, juntamente com essas famílias que se encontram em situação de risco e vulnerabilidade como o trabalho infantil. Nós da Assistência Social estamos em fase de implantação, levantando o diagnóstico socioterritorial aqui no Estado, para trabalhar em parceria com os municípios”, pontuou Thathianni Oliveira, técnica da Seidh.
 
Para Jane Alves, assistente social do município de Itaporanga, o encontro foi importante por possibilitar a integração entre os entes federados e a troca de experiência entre os técnicos municipais. “Através das políticas públicas podemos elencar todas as ferramentas, como a aquisição desse material, para que a gente possa dar uma resposta efetiva na diminuição do trabalho infantil. A Seidh sempre está nos ajudando nesse processo informativo e integrador”, comentou.
 
A Cartilha de Prevenção e Erradicação do trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente e Trabalhador foi elaborada com o intuito de qualificar o debate público com a rede de proteção da criança e do adolescente, sobre questões centrais para a agenda social: a idade mínima para o trabalho, conforme a convenção n 138 (OIT), as piores formas de trabalho infantil, suas causas e consequências; e a necessidade de eliminá-las, conforme determina a Convenção n 182 (OIT), normas ratificadas pelo Brasil. A cartilha é um instrumento que vem a apoiar a rede de proteção social de Estado de Sergipe, dentre outros eixos prioritários da Erradicação do Trabalho Infantil.
 

Fonte: Agência Sergipe de Notícias


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Negros são maioria no trabalho infantil

Ao todo, 63% das crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil são negros; no trabalho infantil doméstico, esse índice se acentua para 73,5%

“Por que devemos erradicar trabalho infantil?” é tema de Seminário em Vila Velha

O evento promovido pelo Feapeti acontecerá nos dias 20 e 21 de novembro, com a participação da secretária executiva do FNPETI, Isa Oliveira

Justiça decide que Zara é responsável por trabalho escravo flagrado em 2011

Sentença pode colocar empresa na ‘lista suja’ do Ministério do Trabalho. Marca vai recorrer

ONU solicita a revogação da portaria que limita a definição de trabalho escravo

Campanha Nacional pelo Direito à Educação e FNPETI corroboram com a avaliação das Nações Unidas