Fórum Estadual de Pernambuco

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

31/07/2017 13:52:50 - Atualizado em 31/07/2017 13:52:50


Justiça condena Araripina por destinar recursos insuficientes à primeira infância

Município pernambucano deverá implementar medidas, no prazo de um ano, sob pena de pagamento de multa

Uma ação civil pública movida no ano de 2015 foi julgada e o resultado foi a condenação do município de Araripina, no Sertão de Pernambuco. Segundo a justiça do trabalho, os recursos destinados à primeira infância estão insuficientes. Desta forma, o município deverá implementar, no prazo de um ano, políticas públicas de promoção à infância e o combate infantil na cidade.
 
A decisão é da juíza do Trabalho, Carla Janaína Moura Lacerda, e foi divulgada no dia 18 de julho. A magistrada comprovou irregularidades na utilização do repasse da união no valor de R$ 87,5 mil unicamente para utilização nos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). O município pode recorrer da decisão.
 
O município de Araripina deverá implementar medidas, no prazo de um ano, sob pena de pagamento de multa, em desfavor do Prefeito Municipal de Araripina, José Raimundo Pimentel do Espírito Santo, de R$ 20 mil por mês. A multa para o município é de R$ 50 mil por mês.
 
Entre as providências exigidas estão: Garantir verba suficiente para a implementação adequada dos programas e ações para erradicação do trabalho infantil; formular diagnóstico de crianças no trabalho do município, elaborar e implantar plano de ação para enfrentamento e erradicação do trabalho infantil; inserir as crianças e adolescentes identificados em programas sociais adequados às situações de violação de direitos constatada.
 
Em nota, a Prefeitura de Araripina informou que o processo refere-se ao ano de 2015, quando o município era administrado pelo ex-prefeito Alexandre Arraes. A atual gestão alega não saber por que as ações não foram desenvolvidas à época.
 
Em relação às atividades realizadas pela atual administração, a Secretaria de Desenvolvimento Social disse que tem promovido ações importantes como a manutenção dos serviços de fortalecimento de vínculos através dos Centros de Referência em Assistência Social – CRAS e Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS. Além desses espaços, a secretaria afirma que tem realizado campanhas de conscientização da sociedade para o combate ao trabalho infantil e à exploração sexual de crianças e adolescentes.
 

Fonte: G1 Petrolina


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Governo paralisa combate a trabalho infantil e escravo

Recursos acabaram na semana passada; entidades de defesa de direitos pedem audiência com ministro do Trabalho

Igreja é condenada a pagar R$ 100 mil a jovem por exploração de trabalho infantil durante 3 anos

Jovem trabalhava das 7h às 23h entre 2012 e 2015 em igreja em João Pessoa

Produção acadêmica contribui para enfrentar o trabalho infantil

Conheça trabalhos realizados por pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba sobre inserção precoce no trabalho

Governo veta prioridade para metas do PNE no orçamento de 2018

Para FNPETI, decisão compromete a redução do trabalho infantil e agrava exclusão escolar