Notícia

18/01/2018 17:17:28 - Atualizado em 19/01/2018 09:22:11


Adolescente de João Pessoa morre durante trabalho em pedreira

Vítima tinha 16 anos e caiu de uma altura de 20 metros; o trabalho em pedreiras é uma das piores formas de trabalho infantil

Um adolescente de 16 anos morreu na manhã desta quinta-feira (18) quando trabalhava em uma pedreira no bairro de Mandacaru, em João Pessoa. De acordo com o Samu, a queda aconteceu de uma altura de aproximadamente 20 metros.
 
O trabalho em pedreira é uma das piores formas de trabalho infantil, expressamente proibida para pessoas com menos de 18 anos pela Constituição Federal. A lista das piores formas consta no decreto 6.481/2008. O adolescente, portanto, não poderia executar a atividade, que expõe a risco de soterramento, esforços físicos intensos e intoxicação. Além disso, ele estava sem equipamento de segurança. 
 
De acordo com reportagem do G1 PB, outro adolescente, de 17 anos, que também trabalhava na pedreira, disse que os acidentes no local são comuns. 
 
Mortes
 
Segundo o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Trabalhador Adolescente (FEPETI/PB), no ano passado foram registradas duas mortes de trabalhadores infantis no estado. Em janeiro de 2017, um menino de 12 anos morreu soterrado em Sousa, na Paraíba. A criança e o irmão retiravam areia para vender, quando o barreiro deslizou enquanto eles o escavavam.
 
O trabalho infantil, sobretudo nas piores formas, pode causar sérias lesões e até levar à morte. Entre 2007 e  2016, houve mais de 22.300 acidentes graves envolvendo crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil. Do total, 152 aconteceram na Paraíba. Mais de 200 crianças e adolescentes morreram em acidentes de trabalho em todo o país.
 
 

Fonte: G1 Paraíba


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

FNPETI participa da 2ª Jornada Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Fórum aborda a vulnerabilidade de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil

Aumenta o número de crianças em situação de pobreza entre 2016 e 2017

IBGE divulga Síntese dos Indicadores Sociais. m 2017, dois em cada cinco trabalhadores do país eram informais

O gosto amargo do trabalho infantil e do trabalho escravo pode estar no chocolate

Para conscientizar os envolvidos na cadeia produtiva do cacau no Brasil, MPT e OIT divulgam pesquisa e documentário

Acesse o III Plano Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador

Plano abrange os anos de 2019 a 2022 e está disponível no site do FNPETI